[Recordando] A importância do FIN para entrar na indústria de Petróleo

Postado em 28/10/2015 • Categorias: Get Started

Boa Noite amigos Leitores,
Sei que ultimamente não tenho consigo postar no TecnoPeG. Tem sido difícil conciliar trabalho, faculdade, projetos pessoais e o blog. Porém, não posso deixar isso aqui morrer. Prometo estar voltando aos poucos e ajudando a todos com a experiência que tenho adquirido nos últimos anos. Por isso, junto com posts novos, estarei postando alguns antigos, com o nome [Recordando] que fizeram muito sucesso ao longo dessa trajetória do blog. Esse por exemplo foi um artigo que escrevi pra ajudar aquelas pessoas que queriam entrar na indústria mas não sabiam como. Engraçado que quando o escrevi ainda nem tinha começado a trabalhar embarcado. E hoje vejo que de fato o FIN foi muito importante pra mim. Mas isso eu falarei num momento oportuno em outro artigo.
Boa Leitura!

Afinal de contas, o que é essa sigla FIN
Esta sigla nada mais é que um anagrama com as iniciais das 3 características principais para conseguir uma colocação no mercado. FOCO, INGLÊS e NETWORKING. Para aqueles que acompanharam a série de artigos que escrevi na Nicomex Notícias, eu citei sobre eles no artigo “Tecnólogos em Petróleo e Gás – Opções após a faculdade” . Aliás, na minha opinião esses 3 fatores são essenciais para o Tecnólogo em Petróleo e Gás conseguir se colocar no mercado. Aqueles que conseguiram pode ter certeza que contaram com esses 3 fatores ou pelo menos 1 ou 2 deles bem fortes.
Esta “teoria” eu criei, depois de muito observar e conversar com profissionais que objetiveram êxito ao conseguir a oportunidade bem como recrutadores. Este anagrama foi criado de próposito, para que representasse FIN, dando idéia definalidade, fim, objetivo. que é o que todos querem: conseguir uma oportunidade de trabalho.
Como o FIN funciona na prática?
Na verdade esta teoria já não é novidade para ninguém. Todos sabem da importância do networking e a necessidade de fluência no inglês para ingressar no mercado de óleo e gás. Porém muitos não tem a primeira palavra mágica, que sem ela desenvolver as outras 2 fica difícil: FOCO. Já abordei sobre ela no artigo “6 atitudes e hábitos essenciais para o desenvolvimento profissional e pessoal. “Neste artigo irei abordar sobre a importância de cada um para atingir este objetivo de ingressar no mercado.
FOCO
Como já disse, esse é o ponto principal para conseguir a tão sonhada oportunidade (isso serve para todas as profissões) No bate-papo que tive, na Feira de Estágio do CEFET, com o Wanderson Assis, responsável pela área de Recrutamento e Seleção da Halliburton, ao perguntá-lo sobre o segredo para o Tecnólogo ingressar no mercado, ele foi enfático: FOCO, TER FOCO. E isso serve para todas as áreas, seja Técnico, Tecnólogo ou Engenharia. Atualmente, a maioria dos cursos de Tecnólogo em Petróleo e Gás, com excessão do curso da UNIGRANRIO (quem tem um foco em Exploração e Produção), possuem uma grade generalista, fazendo com que o aluno tenha uma visão global de todas as atividades e processos da Cadeia Produtiva de petróleo e gás natural, o que segundo ele é uma grande vantagem, entretanto, esta vantagem não se concretiza em diferencial se o egresso não tiver foco pois assim ele saberá exatamente o que é necessário para conseguir a oportunidade, que cursos são valorizados, que formações, habilidades e etc. Cada área possui sua particularidade e pré-requisitos, tendo foco, você saberá como se preparar e não ficará perdido e com a sensação de frustação por não conseguir uma oportunidade. Para aqueles que não sabem começar, uma dica.
1° – Defina uma especilialidade de acordo com sua experiência/habilidade que gostaria de atuar. Planejamento, Projetos, Mecanica, Gestão, Elétrica e etc.
– Defina a área da indústria que tem mais afinidades e os serviços ligados à ela: Por exemplo: E&P, Refino, Comercialização, Perfuração, Completação e Workover por exemplo no caso de E&P, Polimeros ou Analise da Qualidade por exemplo, no caso de Refino, Logistica no caso de Comercialização.
– Após definir um escopo de tipos de atividades e áreas que visa trabalhar, faça um levantamento de quais empresas atuam nesses segmentos escolhidos e que profissionais e habilidades que elas exigem.
– Com a relação de empresas e habilidades/formações necessárias, faça um planejamento de carreira para conseguir a tão sonhada vaga. Mande seu currículo para elas. E também não se esqueça de cadastrar-se nos sites de empregos mais em evidência no setor, como Click Macaé por exemplo, só para citar algum.
Lembrando que essas são as áreas principais dentro de cada cadeia dessa. Mas existem inúmeras atividades de apoio dentro de cada uma. Por isso procure sempre levar em consideração também aquilo que você mais se identifica , por exemplo: Se você tem habilidades na área de TI mas gosta da área de E&P, trabalhe com TI em atividades de E&P e assim vai. Se você é Advogado e gosta da área de Refino, procure unir as 2 coisas. Seja um advogado voltado para Direito Ambiental por exemplo, pois é grande a preocupação com o Meio Ambiente na indústria do Petróleo.
Na verdade o que eu to querendo mostrar é que muitas pessoas se iludem achando que trabalhar na indústria do Petróleo, é trabalhar embarcado! E mesmo assim, dentro de uma plataforma, exigem inúmeras atividades. Por isso procure conhecer cada uma e se focar na que mais você se identificar, procurando sempre alinhar habilidades/ afinidade. No meu caso, por exemplo, gosto da área de TI mais especificamente Inteligência de Negócios (Business Intelligence), bem como Gestão do Conhecimento e Projetos de Gestão 2.0 (que focam em inovação, colaboração e produtividade). Além disso, tenho grande afinidade e procuro sempre ler sobre Gestão e Planejamento de Projetos. Ou seja, no meu caso, o foco não é necessariamente trabalhar embarcado, mas sim realizar estas atividades em empresas que atuem em E&P que é á área que mais me identifico no setor de Petróleo e Gás, pois são atividades que tenho já tenho afinidades e experiência.
INGLÊS
Como já dizia meu amigo Tecnólogo Bruno Cypreste, hoje Planner da SubSea 7 – “Quem não sabe inglês na indústria do Petróleo é analfabeto”. Infelizmente, ele não está enganado, a dificuldade para quem não possui conhecimento de inglês é evidente. Inclusive esta é uma das razões apontadas pela ex-HR Manager daBaker Hughes e atual HR Manager para a América Latina da Infineum, Ana Paula Braga, em entrevista para o Bate-Papo Tecnopeg, para a dificuldade de absorção dos Tecnólogos pelo mercado.
Isso acontece devido a forte presença das empresas multinacionais na indústria. E realmente o inglês é muito utilizado nas empresas. A grande maioria dos programas utilizados estão em inglês. Além disso, uma razão pelo qual desconhia, mas acontece – essas empresas costumam ministrar cursos para os colaboradores estarem frequentemente se desenvolvendo e muitos deles obrigatorios, sendo que grande parte desses cursos são em inglês! Ou seja, quem não sabe pelo menos ler em inglês, está descartado.
Por isso, aproveite o início do ano e coloque o inglês como umas das prioridades para este ano caso ainda não esteja cursando. Caso você não tenha condições de bancar um curso, fique ligado nas dicas de cursos baratos e gratuitos que publiquei aqui no blog. Sua Carreira Agredece!
NETWORKING
Como esta palavra acompanha tanto estudantes e profissionais da área de Petróleo e Gás. Quem nunca ouviu a expressão: “Fulano conseguiu por que tinha bons contatos.” Mas o que representa estas palavras? E que influencia ela tem na sua empregabilidade?
Posso dizer que esta habilidade está muito interligada com a primeira que comentei: o foco. Por que? Lembra que disse que o foco é importante para definirmos as empresas que queremos trabalhar? Pois é, depois disso entra justamente a etapa do networking quando começamos a fazer os contatos necessários para atingir nosso objetivo (no caso, a oportunidade de entrar naquela empresa).
Porém, as pessoas fazem uma interpretação erronea da arte de fazer networking. Elas simplesmente acham que networking é pedir emprego ou mandar currículo para análise. O Networking é uma arte e como tal tal, demandam tempo e dedicação. Consiste em construir relacionamentos e parcerias duradouras e que aconteça uma troca. Ambos se ajudam de alguma forma.
O Segredo para um bom networking é um eficiente Marketing Pessoal: Você é seu melhor produto. Saiba vendê-lo que sempre terão bons “compradores”. E nenhum lugar melhor para começar a praticar como sua faculdade/curso. Pode ter certeza que sempre terá aquele colega de turma ou até mesmo um professor que pode te ajudar, mas isso depende de você, sua postura em sala de aula. A vaga não cairá do céu. Cuidado com aquela turminha lá do fundo, que só zoneia a aula, caso você participe dela, pode estar se queimando!
Entenderam agora a importância do FIN na sua carreira? Esta “Teoria” serve para qualquer estudante, de qualquer formação. O ideal é que cada um tenha essas 3 características de maneira marcante, porém isso não necessariamente quer dizer que se a pessoa não tiver o inglês, não consegue entrar de jeito nenhum no mercado, pois se de repente ela tenha uma excelente rede de contatos, ela irá conseguir. Mas e se eu não tiver uma boa rede de contatos? Calma, isso não quer dizer nada. Mesmo sem conhecer ninguém você pode conseguir através de muita força de vontade e determinação. Da mesma forma a falta de foco. Conheço muitas pessoas que não tem foco algum, porém tiveram a oportunidade de desenvolver seu inglês e hoje são fluentes na língua. Conseguindo assim a tão esperada vaga.
Tags:
Compartilhe:
Tecnólogo em Petróleo e Gás, Técnico em Automação e estudante do último ano da Engenharia de Produção. Coordenador de Serviços em Surface Americas no Brasil, membro do Comitê Jovem do IBP e atualmente Internet Chairperson da SPE Brasil. Possui mais de 7 anos de experiência no segmento de óleo e gás.
Deixe um comentário