Bate-papo Tecnopeg: Você é um High Potential?

Postado em 03/02/2016 • Categorias: Get Informed, Get Started

O que diferencia os candidatos numa entrevista sempre foi algo que me despertou interesse. O que faz uma pessoa ser contratada e outra não? É só uma questão do conhecimento técnico ou tem a ver com as características comportamentais do candidato?

A Carolina Ridolfi, Gerente de Recrutamento da Brunel, me ajudou tirar essas dúvidas. Durante a OTC no ano passado, estávamos conversando sobre os processos seletivos na indústria de petróleo e uma palavra-chave surgiu na conversa: High Potential ou High Profile. Seria esse o diferencial durante uma entrevista? O que determina uma pessoa ser ou não ser um? Veja o que ela diz sobre isso!

1. Quem são esses high profiles?

Os perfis high profiles são aqueles profissionais que além de um bom currículo, chamam atenção em um momento de entrevista, ou seja, demonstram uma boa postura, boa comunicação (sabem se colocar e apresentar suas habilidades de forma segura), para isso é fundamental o profissional estar preparado para cada entrevista que realiza, para a vaga que está concorrendo.

2Por que as empresas de recrutamento os chamam de high profiles?

Porque são profissionais que se destacam dentro de uma área específica, serão lembrados toda vez que uma vaga em seu perfil surgir.

3. É possível um Jovem Profissional ser chamado de High Profile ou só profissionais mais seniors que conseguem? Se sim, o que eles podem fazer pra alcançar?

Sim, claro. Esses jovens tem que conhecer muito bem suas habilidades e onde querem chegar. Num momento de entrevista precisam “brilhar”, demonstrar energia e garra. É o que chamamos de perfis “High potentials”, E a boa notícia é que o mercado está cada vez mais aberto para contratar esse profissionais para cargos estratégicos. Para ser um “High potential” é fundamental que esses jovens busquem um processo de auto-conhecimento, para conhecer e potencializar suas competências, saber como e onde utilizá-las. Uma boa ferramenta para isso seria engajar-se em um processo de career coaching.

4. Antes da crise, esses profissionais eram disputados a preço de ouro no mercado. Ainda são? Como está o mercado para esse tipo de recrutamento? Existe algo que o profissional possa fazer para facilitar?

Esses profissionais ainda são muito procurados, ainda mais em um momento de crise, onde as empresas estão cada vez mais exigentes em suas contratações. São esses os profissionais que primeiro irão se recolocar no mercado em crise. Em momentos difíceis é fundamental que seus soft skills se destaquem em relação aos outros profissionais da área, estar preparado e ter muito foco e energia é essencial!

Carolina Ridolfi

Recruitment Manager / Career Coach

c.ridolfi@brunel.net  |  www.brunel.net  |

High_Potential

Para saber mais

Procurem examinar o que os diferencia dos demais no mercado de trabalho. Se precisar de alguma ajuda, alguns meses atrás já escrevi um artigo sobre como utilizar a metodologia VRIO como ferramenta para melhorar a empregabilidade (VEJA AQUI).

Além disso, existem outras formas de ajudar no seu desenvolvimento profissional, tais como:

  • Estar antenado nas novidades da indústria;
  • Buscar atualização contínua das principais ferramentas de trabalho;
  • Estar atento ao desenvolvimento das suas soft skills (comunicação, inteligência emocional, etc)
  • Participar de associações de classe (IBP, SPE, PMI…etc)
  • Fomentar o networking participando de eventos e cursos não só específicos da indústria mas também de áreas não relacionadas para que possa expandir sua mente e buscar novas visões de mundo.

Essas são algumas dicas rápidas de como tornar-se um high potential, sendo as 2 últimas mencionadas acima formas fáceis pelo qual você pode atingir as 3 primeiras. Pretendo voltar a falar desse assunto no futuro!

Quer se aprofundar mais ainda? Então dê uma lida nesses 2 artigos sobre o tema que não vai se arrepender!

Compartilhe:
Tecnólogo em Petróleo e Gás, Técnico em Automação e estudante do último ano da Engenharia de Produção. Coordenador de Serviços em Surface Americas no Brasil, membro do Comitê Jovem do IBP e atualmente Internet Chairperson da SPE Brasil. Possui mais de 7 anos de experiência no segmento de óleo e gás.
Deixe um comentário